O Telégrafo (do grego: tele, “à distância" e graphos "escrever”) foi um dos primeiros dispositivos de comunicação utilizados em larga escala no mundo a partir do século XVIII. Seu objetivo é enviar sinais textuais ou simbólicos sem uma troca física efetiva de objetos. Os telégrafos passaram por inúmeras transformações desde seus primeiros desenvolvimentos, como no caso dos telégrafos óticos elaborados pelo inventor e engenheiro francês Claude Chappe (1763 –1805), até os telégrafos sem-fio patenteados pelo inventor e engenheiro italiano Gugliemo Marconi (1874 –1937) (BEAUCHAMP, 2001). Em 1840, o físico, pintor e inventor estadunidense Samuel Morse (1791-1872) adquiriu a patente de seu dispositivo telegráfico que consistia de uma chave para ativar o funcionamento de um eletroímã que gerava um código de traços e pontos –o código Morse, utilizado ainda hoje (MORSE, 1840). Os telégrafos que surgiram após a patente de Morse originam-se direta ou indiretamente de seu modelo, e impulsionavam a construção de linhas regulares entre cidades norte americanas. O Telégrafo do acervo de experimentos do MINF/UFPA é um dispositivo didático utilizado para ilustrar o funcionamento de dispositivos telegráficos com eletroímãs, apresentar o Código Morse e contextualizar historicamente a importância do desenvolvimento das telecomunicações.

 

FONTE:

CALDAS, J. Museu Interativo da Física da UFPA: Ação educativa com ênfase em divulgação e popularização da História e da Filosofia da Ciência para o ensino de Física. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade de Física. Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.

MINF - UFPA - Av. Augusto Correa, n° 01, Campus Básico do Guamá - Belém - Pará, CEP: 66075-110
Tel.: (91) 3201-7889. E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.